Territórios hoje italianos que fizem parte do Império Austro-Húngaro


Uma das perguntas que mais recebo por quem está iniciando a busca por suas origens para o reconhecimento da cidadania italiana é se o município (isto é, “o comune”) onde nasceu seu “dante causa” (o imigrante italiano) fez parte do Império Austro-Húngaro.

Listo abaixo todos os municípios que fizeram parte desse território.

Se seu ancestral “dante causa” nasceu num desses municípios, com muita probabilidade a família emigrou com a nacionalidade austríaca (se a emigração ocorreu antes de 16 de julho de 1920).

TERRITÓRIO DO IMPÉRIO AUSTRO-HÚNGARO QUE DESDE 1920 PERTENCE À ITÁLIA:

  1. Toda a província de Bolzano/Bozen (Tirol do Sul);
  2. Toda a província de Trento (Tirol italiano);
  3. Toda a província de Gorizia;
  4. Toda a província de Trieste;
  5. Quinze municípios da província de Údine (Aiello del Friuli, Aquileia, Campolongo al Torre, Cervignano del Friuli, Chiopris-Viscone, Fiumicello, Malborghetto-Valbruna, Pontebba, Ruda, San Vito al Torre, Tapogliano, Tarvisio, Terzo di Aquileia, Villa Vicentina e Visco);
  6. Três municípios da província de Belluno (Cortina d’Ampezzo, Colle Santa Lucia e Livinallongo del Col di Lana);
  7. Um município da província de Vicenza (Pedemonte e a comuna extinta de Casotto);
  8. Dois municípios da província de Bréscia (Magasa e Valvestino).

A lei que rege a CONCESSÃO (não reconhecimento) da nacionalidade para descendentes de ex-súditos do Império Austro-Húngaro é a Legge 14 dicembre 2000, n. 379, cujo prazo expirou em 20/12/2010.

Após 16/7/1920 todos os emigrantes oriundos dessas áreas que não fizeram a opção pela nacionalidade italiana num consulado italiano tornaram-se APÁTRIDAS. Nem a Itália nem a República Austríaca reconhecem esses cidadãos como seus nacionais após essa data.

Gostou desse post? Siga-me nas redes sociais e compartilhe minhas publicações!

Gostou? Deixe seu comentário: