Palestras sobre cidadania, genealogia, sobrenomes italianos, serviços consulares etc.

Sempre que eu anuncio a realização de uma palestra em determinado local várias pessoas me perguntam se eu vou para a cidade delas, se tenho previsão de quando iria etc. A resposta quase sempre é “não sei“.

Não sou um palestrante profissional e não lucro fazendo palestras. Quando a palestra não é inteiramente gratuita, normalmente se cobra somente uma contribuição simbólica para uma causa merecedora. Em Jundiaí foi para a AMA (Associação dos amigos dos autistas), em São Pedro será para uma ONG de bem-estar animal. Em outros casos se cobrou o necessário para pagar o aluguel da sala e/ou para meu simples deslocamento e uma noite de hotel.

Assim como não lucro com palestras, também não ganho dinheiro com assessoria para cidadania, análise de documentos, pesquisas genealógicas. Eu não vendo nenhum tipo de serviço e nem faço indicações de profissionais sob comissão. Eu sei que para algumas pessoas isso é algo difícil de acreditar, mas é a realidade. Outros me acusam de querer ganhar visibilidade política. Talvez sim? Talvez, mas não faço nada como uma intenção direta de ganhar isso ou aquilo, nem visibilidade. Eu faço porque eu simplesmente amo falar sobre cidadania, genealogia, nomes e sobrenomes, serviços consulares, história da Itália, da Europa, divisões administrativas e um montão de outras coisas.

Dito isto, é possível que eu vá até a sua cidade fazer uma palestra?

Claro! Vou para qualquer lugar falar sobre cidadania, genealogia, sobrenomes italianos, serviços consulares, história da Itália, da imigração italiana e tantos outros temas que estudo e que me proporcionam imenso prazer ao dividir conhecimento com todos os interessados.

O que então é preciso para ter uma palestra minha na sua cidade?

Eu preciso que alguém se encarregue de toda a organização. TODA. Eu tenho uma outra atividade de trabalho da qual eu tiro meu sustento e não tem nada a ver com esse “mundo”. Não tenho possibilidade de arrumar um local, fazer tratativas, eventualmente pagar pelo espaço etc. Preciso, então, que alguém se responsabilize pelos seguintes itens:

1) Encontrar um LOCAL para fazer a palestra com o mínimo de conforto: um auditório, um teatro, uma sala de aula, um salão paroquial etc. Qualquer lugar minimamente adequado. Não precisa ser nada luxuoso.

2) Providenciar projetor, tela e microfone. Estes são os três itens técnicos necessário. O microfone é dispensável se a sala for pequena e o público reduzido. O laptop eu levo (é um MacBook da Apple), mas é interessante ter um notebook já devidamente testado com o projetor (Datashow).

3) A depender da distância de São Paulo, preciso de reembolso do transporte e de uma noite de hotel. Não lucro, mas também não posso pagar tudo do meu bolso.

Se alguém se habilitar a organizar tudo, basta combinar uma data e com muita alegria vou a qualquer lugar para fazer a palestra. Se for a uma distância razoável de carro de São Paulo (SP), melhor ainda por que eu adoro dirigir.

Gostou? Deixe seu comentário: