Pesquisas online na Biblioteca Nacional


Uma importante dica nas nossas buscas genealógicas (para cidadania ou não) é a Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional.

São centenas e centenas de periódicos (jornais e revistas) digitalizados com reconhecimento de caracteres, o que possibilita executar buscas com palavras-chave, como por exemplo o sobrenome de um ancestral.

Sempre que queremos fazer buscas temos de ter em mente duas diretrizes básicas: termos que fornecemos para busca e resultado pretendido. Quanto mais termos fornecemos, menor será a quantidade de resultados obtidos. E também devemos ter em mente as diversas possíveis grafias dos termos que queremos procurar. Isso é especialmente delicado quando pensamos nos sobrenomes italianos e os problemas derivados do famoso “raio cartorizador ®”.

Portanto, se quiser fazer uma busca de um tal “Pietro Tommasini”, lembre-se de procurar também “Pedro Thomazini”, “Pedro Thomasini”, “Pedro Tomazine” etc.

E o que os jornais podem conter sobre nossos ancestrais?

– Proclamas de casamento
– Obituários
– Processos de naturalização
– Notícias diversas

Quanto mais “urbano” for nosso ancestral, maior é a probabilidade de encontrar algo nos periódicos. Os nossos nonnos camponeses raramente serão citados pelos jornais, mas é sempre importante tentar.

Vou trazer um caso específico para ilustrar: o irmão do meu bisavô, Rosario Taddone, foi o único de seus irmãos que se naturalizou brasileiro. E por quê? Porque era o mais instruído e o mais urbano deles todos. Naturalizou-se porque pleiteava um cargo público que depois obteve.

Lembrem-se que a imensa maioria dos imigrantes NÃO se naturalizou. Os naturalizados eram em sua esmagadora maioria homens, urbanos e de classe média. Antes da década de 1960 os italianos e seus descendentes eram quase sempre estatisticamente pobres.

Voltando ao meu tio-bisavô Rosario Taddone, foi possível encontrar uma citação sobre ele no jornal Correio Paulistano de 22 de novembro de 1938 referente a seu pedido de naturalização brasileira:

 

Muitas vezes o sistema do Ministério da Justiça que emite a certidão negativa de naturalização (CNN) é lacunoso, ou seja, dá falsos negativos. O imigrante naturalizou-se mas a CNN é emitida da mesma forma. Portanto, vale uma busca na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. Havendo alguma menção e, portanto, suspeita de que o ancestral se naturalizou, pode-se pedir uma busca nos dossiês de naturalização que estão sob custódia do Arquivo Nacional no Rio de Janeiro.

Outra fonte riquíssima, sobretudo para o estado de São Paulo, é o website JusBrasil, que digitalizou diários oficiais e fontes judiciárias. A busca é grátis, mas a leitura dos periódicos é a pagamento. Também para os paulistas, o website do Diário Oficial do Estado é uma ótima fonte. Logo na primeira página use o campo de “Busca por Palavra”.

Enfim, espero que possam aproveitar das comodidades da modernidade. Antes da digitalização OCR toda essa riqueza dos periódicos estava sepultada em milhares de horas de pesquisa manual, inviabilizando na prática buscas desse tipo.

Gostou? Deixe seu comentário: