Árvore familiar do FamilySearch: não faça isso! Sua pressa pode atrapalhar outras pessoas.

É sempre prazeroso repetir o quanto a organização FamilySearch é importante para a história dos nossos antepassados. Sem o FamilySearch toda pesquisa genealógica seria muitas e muitas vezes mais difícil. O FamilySearch nos presenteia, gratuitamente, com bilhões de registros de interesse genealógico e com uma plataforma maravilhosa de pesquisa e organização de dados das nossas famílias. Como tudo que é humano, o FamilySearch tem seus defeitos, mas suas qualidades os ultrapassam largamente.

Convido a todos que insiram na Árvore familiar do FamilySearch (https://www.familysearch.org/tree) os dados genealógicos de suas próprias famílias. Pelo menos dos seus bisavós até os ancestral mais antigo que conheçam. Por ser uma plataforma colaborativa, é necessário estar sempre vigilante e ter os dados em local seguro fora de lá, seja anotado em papéis, em softwares como o RootsMagic instalados no seu computador etc. Não recomendo sites como o MyHeritage, que usam os dados que os usuários inserem para ganhar dinheiro com mensalidades a preços escorchantes.

Voltando ao megaportal do FamilySearch, uma das suas características mais interessantes é a interatividade entre suas plataformas, nomeadamente entre a Árvore familiar e os registros, sejam aqueles já indexados no lindo projeto de indexação, sejam aqueles não indexados, mas disponíveis para consulta “manual”. Essa interatividade permite que nossa árvore genealógica seja completada com fontes interligadas dentro o próprio portal, de maneira fácil e rápida. Lembrando que árvore genealógica sem fontes é até prova em contrário apenas “mitologia”.

Quero neste breve artigo abordar um comportamento cada vez mais comum na Árvore familiar do FamilySearch: muitos usuários ao montar uma árvore genealógica recebem do lado direito da tela registros sugeridos, que podem ou não ser relacionados àquelas pessoas de determinada família. No aplicativo, que eu raramente uso, essa sugestão aparece num pequeno ícone retangular azul imitando uma “fichinha” de prontuário.

Os registros sugeridos indicam que pode haver registros já indexados relativos àquela pessoa. Cabe ao usuário verificar com muita atenção e cautela se aquele registro de fato se refere àquela pessoa. É comum ver pessoas que anexam esses registros sugeridos a pessoas que nada têm a ver com o referido registro, muitas vezes pessoas que viveram em séculos diferentes e/ou países diferentes. Portanto, tenha cuidado!

Mas o mau hábito que quero relatar agora é outro! Muitas pessoas anexam registros que de fato são relacionados à pessoa em questão, mas por preguiça ou pressa acabam que não extraem todas as informações que aquele registro pode fornecer. Normalmente as pessoas fazem isso com parentes colaterais que para ela naquele momento não têm muita importância.  Vou explicar com mais detalhes como isso acontece:

Joãozinho Rossi está pesquisando o bisavô Antonio Rossi. Então ele vai na árvore e insere os dados do bisavô e dos trisavós (pais dos bisavós, favor nunca mais usar o termo “tataravô”). Ao clicar no trisavô, de repente ao lado aparece um registro sugerido. Que legal! Trata-se do casamento de Luís Rossi, irmão do bisavô dele, o Antonio Rossi. Como no casamento do Luís Rossi consta os nomes do pai dele, o registro aparece sugerido quando estamos com o nome dos trisavós do Joãozinho em tela. E o que o Joãozinho faz? Ele vai lá e cria uma entrada para o Luís Rossi, irmão do bisavô dele. Daí ele resolve anexa o registro de casamento indexado, mas percebe que teria de incluir mais três pessoas: a mulher do Luís Rossi e os pais dela! Então bate aquela preguicinha mortal e ele pensa: “ah, isso não tem nada a ver com a minha família, nem sei quem são essas pessoas!”. Em vez de não anexar nada, ele resolve anexar o registro a três pessoas, deixando outras três de lado, que ele nem insere no sistema.

E o que esse mau comportamento causa? Quando um descendente de Luís Rossi for verificar a árvore, esse registro sugerido não aparece mais ali ao lado, porque já foi indexado. Para um usuário experiente, isto não é um problema, porque ele percebe que há registro nas fontes e vai verificá-las. Todavia, um usuário iniciante que ainda não sabe todos os recursos que o portal oferece não vai ter mais nenhum registro sugerido e, portanto, não vai nem perceber que existe ali totalmente oculto um registro de casamento cheio de dados que lhe poderiam ser úteis.

Portanto, ao ver um registro sugerido haja da seguinte maneira:

  1. Primeira coisa a fazer é ter certeza de que o registro sugerido diz respeito àquela pessoa. Verifique com calma e atenção. Se não for relativo àquela pessoa clique em “não é uma correspondência” e justifique sempre que possível.
  2. Se o registro for daquela pessoa, mas ela não é do seu interesse, deixe o registro sugerido lá e não faça nada. É melhor não fazer nada a fazer “nas coxas”.
  3. Se quiser realmente anexar o registro, verifique-o diretamente e extraia todos os dados disponíveis, criando entradas para cada pessoa citada e tudo o mais que puder. Se quiser ser particularmente meticuloso, insira dados de menor importância como profissões, local de residência etc.

Espero ter conseguido explicar o problema e por que não devemos ter pressa demasiada, sobretudo com dados que poderão ser úteis a outras pessoas.

Gostou? Deixe seu comentário: